“O acaso é a teoria dos ignorantes”

4/20

A vida de cada ser humano é uma via importante na ascensão da humanidade. E o maior obstáculo para a ascensão espiritual e material da humanidade é a pobreza e o medo.

Antes continuar preciso fazer um pequeno esclarecimento. Nos últimos artigos deixei aqui claro como transformar uma crise numa bênção. E tenho a certeza de que, até que alguém prove o contrário…, os resultados serão infalíveis, para todos que seguirem as orientações na íntegra. Por outras palavras todos aqueles que baixarem os braços e fizerem simplesmente o que lhe foi sugerido transformam…, a crise em que se encontram (não importa qual seja) numa bênção.

Felizmente aqueles que somente querem filosofar, vão tendo a coragem de perguntar “quem me dá a autoridade para afirmações tão incisivas e profundas em relação aos mundos interditos da doença, pobreza, ansiedade e sofrimento”?

Antes de responder, quero mais uma vez lembrar que os meus artigos são para quem quer resultados…, não para quem precisa, mas prefere filosofar ou mesmo “perceber”. Quem quer perceber não quer mudar. E quem não quer mudar, não quer sair do lugar em que se encontra.

Todos os passos dados aqui gratuitamente fazem parte do processo de transformação, e, resultam da experiência adquirida nos últimos 50 anos e posta em prática com homens e mulheres de todo o mundo, pela casa escola António Shiva® nos últimos vinte.

Tudo que é transmitido aqui resulta da experiência adquirida com os milhares de casos que procuraram ajuda na nossa comunidade.

Tenho consciência da realidade em que o mundo se encontra, e que da mesma forma que há pessoas que já não saem de casa há meses, por medo; e outras que entram em pânico só de pensarem fazer uma viagem de avião…, devido a fenómenos como o Pânico e Agorafobia…, também existem muitos necessitados, sem pão, sem casa, sem nada. Mas também não podemos deixar de verificar em primeiro lugar que essas epidemias são consequência da ignorância. Porque no âmago do ser humano existe tudo que ele necessita. Tanto a ansiedade, pânico e agorafobia, assim como a pobreza de bens essenciais para uma boa qualidade de vida são fruto da ignorância. É hora de acordarmos e deixarmos de querer “tapar o sol com a peneira”. É urgente abrir a mente e atravessar o fosso da ignorância, que separa o pobre miserável e o ansioso da sua verdadeira condição divina. Todos os seres humanos têm poder, sabedoria, riqueza, saúde, amor, felicidade, abundância, em potencial. É preciso dissolver a ignorância e potencializar essas qualidades.

 Da mesma forma que não é com drogas lícitas (benzodiazepinas, álcool ou outras) se resolve o problema da ansiedade que não para de aumentar, também não é com caridade que se acaba com a pobreza, que também cresce no mundo a uma velocidade estonteante.

O importante é irmos ao cerne da questão, em vez de nos deixarmos iludir com a aparência. Todos os seres humanos têm dentro de si o que procuram fora. Não querer aceitar esta verdade, é negar a raiz da questão. O grande sábio Confúcio (550 – 479 a. C.) «o homem superior procura em si mesmo tudo o que quer; o homem inferior vai procurar nos demais.»

Existem muitas formas de pobreza ou miséria existencial. Aparecem frequentemente em nossas consultas jovens estudantes universitários que ficam fechados anos inteiros em suas residências universitárias. Normalmente as famílias só tem conhecimento quando se dão ao trabalho de investigar. Nos próximos artigos serão dadas soluções perfeitas para estes casos, assim como o medo do fracasso, ou mesmo medo do sucesso… ou mesmo ao medo de ter medo.

Não me vou afastar mais do tema de hoje, e vamos já para como fazer o caminho da pobreza à riqueza.

Para que a viagem seja paradisíaca comecemos por definir de uma forma básica o conceito de Riqueza e pobreza, (apesar de ser uma definição separatista dualista, precisamos começar por aí…, sem isso será muito difícil descolar.

Pobreza, como a própria palavra indica é tudo que é mau, carente, imperfeito, deprimido, doente, feio, podre, epidémico, estável, vazio, morte.

Riqueza é VIDA, é tudo que é bom, belo, saudável, alegre, feliz, realizado, divino e instável.

Agora que já esta definido o conceito de pobreza e riqueza, para que nos próximos artigos possamos nos entender…, precisamos de em seguida abrir a mente, e limpar alcatrões e poeiras que poluem a nossa consciência e a consciência coletiva da humanidade. É esta consciência individual e criativa que cria a peste chamada pobreza.

Vou esclarecer…, se queremos mudar a realidade, é preciso começar por mudar a forma como vemos a riqueza e o dinheiro. Ouve-se dizer que “os ricos são egoístas”, “os ricos são arrogantes”; “os ricos oprimem”; “os ricos são corruptos”; “os ricos exploram”; enfim esta falsidade em relação a riqueza deve-se somente a ignorância de apelidar de “rico” um pobre com dinheiro. Extorsão, exploração, corrupção, opressão, presunção é próprio do miserável com dinheiro (o lobo com pele de cordeiro). Da mesma forma, quando se fala de dinheiro, tenta-se associar a estes pobres com dinheiro. Não quero com isto dizer que um pobre não possa mudar, ou não mude; claro que pode e deve mudar, porque riqueza é vida em crescimento e crescimento é mudança. 

Da mesma forma que é preciso mudar, o conceito que se tem sobre a riqueza, também é preciso mudar a forma como se vê o dinheiro. Penso até que se deveria eliminar ao zero tudo que sabemos sobre o dinheiro. Mesmo aqueles entre nós tiveram a bênção de ter algum dinheiro nas suas vidas, têm dificuldades em sentirem-se bem com isso. Porque virtualmente todas as mensagens que recebemos acerca do dinheiro fazem do dinheiro o vilão. E de uma forma consequente faz de quem tem dinheiro um vilão. Embora as pessoas que têm o dinheiro não o sejam, só o conceito errado contra o dinheiro cria a realidade. Por um lado, criando a realidade de quem não o tem, porque não quer ser um vilão, e por outro faz de quem o tem, o que acreditam que sejam. Nós temos uma ideia preconcebida sobre o dinheiro. “O dinheiro é a raiz de todo o mal”. Dizemos que “o dinheiro é sujo”. Chamamos de “podres de ricos” a quem tem muito dinheiro. No fundo todos querem mais dinheiro, mas no ar paira o dinheiro como impuro. E quem o tem…, conseguiu-o de alguma forma ilegítima. O dinheiro está envolto num mito paradoxal. Apesar de todos quererem ter mais dinheiro…, há uma consciência coletiva que transpira para a sociedade, que não é bom, ou não é certo ter dinheiro. Esta realidade põe-nos a todos, numa posição de querer uma coisa que não é certo ter. Sem mudarmos estes preconceitos jamais poderemos acabar com o vazio existencial que acaba se manifestando na pobreza, ou a níveis mais amplos na depressão, ansiedade e pânico…, enfim doença.  Apesar de parecer que estamos a falar de coisas diferentes pobreza & ansiedade, mas a verdade é que, não se podem separar estes dois flagelos concebido e criados pela ignorância.

Apesar das mudanças radicais que estão a acontecer no momento; a inteligência artificial com a robotização de toda a indústria, comércio e serviços, a moeda virtual, o tão falado rendimento básico incondicional, atribuído a todo o cidadão. Este é o novo mundo anunciado por Jesus.

Antes de acabar este artigo que já está a ficar longo, e antes de iniciarmos o caminho da pobreza até a riqueza, precisamos de nos libertamos das falsas cresças negativas em relação ao dinheiro, e entender que o dinheiro é simplesmente mais uma forma de energia de vida, e é uma forma muito poderosa, não poderosa em si, mas poderosa porque lhe demos poder.

2000 anos depois, muitos ainda não acreditam na veracidade do anúncio de Jesus. Ele; o mestre, anunciou um mundo de amor, de paz, de felicidade, de abundância, de saúde, de fraternidade, e de comunhão universal ou reinos dos céus. Esse mundo já está aqui, apesar da ignorância manifestada pelos incrédulos pessimistas se anunciar assim: se existisse esse mundo lindo maravilhoso pregado por Jesus, não existiria esta multidão impossível de contar de miseráveis famintos, ansiosos, deprimidos, doentes. Estes pessimistas ignorantes ao fazerem estas afirmações, estão cegos…, é como negar a eletricidade, só porque existem biliões de habitações as escuras.

Espero que alguma luz se tenha feito, e que desta forma se comece a iluminar o caminho da mudança. Depois de mudar os conceitos nocivos, faremos o caminho juntos, do lugar de que te encontras, para o lugar que queres estar.

Fico a aguardar as tuas preciosas dúvidas…, a matéria prima indispensável para continuarmos juntos e pavimentar o nosso próprio caminho

Fico a aguardar. Incondicionalmente disponível

antonio@solucaoperfeita.com

António Teixeira Fernandes

Ao subscrever para receber as novidades de António Fernandes, concorda que os seus dados sejam processados conforme indicado na Política de Privacidade e toma conhecimento que pode revogar o seu acesso a qualquer momento.

Pin It on Pinterest