Ansiedade ou Stress… qual é a Solução?

Ansiedade ou Stress… qual é a Solução?

Muito se tem escrito e falado, sobre o mais sério problema de saúde pública. Tanto a ansiedade como stress são a maior causa de sofrimento do mundo moderno. Não só pelo terrível sofrimento que inflige a quem delas sofre, como pela consequência nas doenças digestivas, cardiovasculares e respiratórias, assim como na maioria de cancros e dependências químicas e outras.

Esta informação encontra-se espalhada por milhares de livros impressos, assim como também em milhões de artigos, espalhados por sites de todo o mundo, ao acesso de todos e à distância de um clique.

O que talvez seja mais difícil encontrar são soluções perfeitas, tanto para a Ansiedade, como para o Stress. Se é que existem para todos. Apesar de não trazer aqui nenhuma receita milagrosa para este problema à escala global, posso afirmar que existem soluções, para quem está disposto a fazer uma revisão honesta e responsável do paradigma com que gere e guia a sua realidade.

Apesar de não existirem dois ansiosos iguais, temos que concordar que ansiedade é medo sem causa, resultante da falta de confiança no processo e fluxo da vida. Até aqui todos estamos de acordo. Mas agora surge outra questão; o que leva o ansioso a viver no medo, ou a não confiar no processo e fluxo da vida?

Então vejamos; não confiar na única coisa (vida) que nunca nos abandona desde a primeira inspiração até á última expiração, é algo muito grave. Se não confiamos na nossa própria vida, em que é que se confiará? Há algo muito errado na nossa educação, que é urgente corrigir.

De onde advém esta grande lacuna que tanto, tanto, sofrimento traz à humanidade? Apesar de já vivermos na Era da informação, o sistema vigente no mundo precisa do obsoleto paradigma separatista/dualista para sobreviver. Advindo daí esta grande lacuna existencial, e toda forma de incoerências. Mas contra isso é inútil lutar.

O que se pode fazer para ajudar o ansioso que vive atormentado no seu inferno existencial?

– É urgente reeducar, mudando o sistema de crenças, reajustando o ser em sofrimento à liberdade do processo e fluxo da vida.

A Casa Escola António Shiva® há mais de vinte anos, dá formação a profissionais de saúde, para que possam ajudar os seus clientes em sofrimento e recebe pessoas de todo o mundo, dispostos a fazer o que for preciso para se libertarem desta corrosão física, emocional e mental do ansioso em sofrimento.

Como se faz um ansioso?

Cada criatura humana é um ser único, dotado de um poder infinito de criar. Tudo que a sua mente consegue conceber, ele tem o poder de fazer. Mas…, o sistema vigente não permite que o ser humano desenvolva a sua criatividade, além das suas limitadas fronteiras pré-definidas. Assim…, desde tenra idade, este ser único, dotado de um poder infinito, é submetido a uma educação separatista, dualista, instigado na competição, culpa e medo. Que não só lhe suga o poder criativo inerente a cada ser humano, como lhe fragmenta a própria vida, tratando como refugo todo aquele que não corresponda às necessidades da sobrevivência do sistema. Assim se cria o oceano da ansiedade.

Como se entra no afamado mundo do Stress?

Aqui o processo começa da mesma forma que no ansioso, e continua relacionado com os princípios educacionais separatistas/dualistas. Mas agora…, a pessoa perante o estímulo da competição com indivíduos mais sensíveis emocionalmente, supera-os, julga-se vencedor, apto para servir o sistema. Torna-se fácil de moldar e facilmente se ajusta às necessidades do sistema, executando o que o sistema espera dele. Este é o padrão exigido aos cidadãos que constituem o universo do sistema vigente. Dentro do vasto leque de cidadãos necessários para que o sistema funcione, há, além de outros, os brilhantes excecionais, aqueles cujas vidas são uma profusão de sucessos, representando o modelo perfeito da felicidade alcançável. Mas que, na verdade, são tristes e infelizes. Estão no topo da sociedade, mas perderam o seu eixo individual. Vêem-se sozinhos e enganados pelo sistema. Comportaram-se como o sistema lhes exigia, servindo como modelo, mas…, em vez da terra prometida, acabaram esmagados pelo stress ou no vazio existencial.

Como vimos até aqui, tanto a ansiedade como o stress são o sacrifício exigido para que um sistema instável, ultrapassado, semimorto se perpetue.

Como libertar o ansioso?

O Ansioso liberta-se da prisão do medo, quando recuperar as faculdades com que nasceu. Sabedoria, poder e liberdade. Só recuperando o poder infinito intrínseco ao ser humano, ele se liberta do medo. Ou seja, o ansioso precisa de ser ajudado na remoção do lixo com que sufocaram as suas faculdades, e ajudado a desenvolver a liberdade, poder e sabedoria, renascendo dos escombros da culpa e do medo.

No Stress… a solução é outra.

O Stress faz parte dos indivíduos que suportam o sistema. Aqui a solução não seria libertar o stress, mas sim aprender a gerir o stress. Facilitando a todos que suportam o sistema, uma melhor qualidade de vida.

Como fazer para encontrar Soluções?

A Casa Escola António Shiva® , à semelhança de outras instituições prestigiadas no mundo, tem soluções personalizadas a cada indivíduo.  Há sempre uma solução, para quem quer.

António Fernandes

Palestra: “Drogas e alcoolismo – Há uma saída”

Palestra: “Drogas e alcoolismo – Há uma saída”

Nesta palestra vamos conhecer os perigos das drogas e do alcoolismo, como a pessoa se torna dependente das drogas e do álcool e, principalmente, como atingir a liberdade absoluta das drogas e do álcool.

Também veremos que qualquer tipo de dependência, seja relacionado às drogas, ao álcool, aos jogos, à prostituição, à internet etc., pode ser recuperada totalmente. Quando digo recuperar totalmente estou a referir-me a eliminar as causas psicológicas da dependência, o que é muito diferente de como normalmente sucede, desintoxicar fisicamente (reprimir a dependência), o que deixa a pessoa vulnerável as inevitáveis recaídas.

A dependência

Qualquer tipo de dependência resulta da baixa autoestima e falta de capacidade de lidar com sentimentos e emoções. Sempre que o nosso Eu não sabe lidar com um sentimento, deita mão de uma coisa, cigarro, copo, droga enfim qualquer coisa que altere o estado de humor.

Embora hoje não sejam tratadas aqui outras dependências, como o jogo, a prostituição, Internet etc., têm a mesma causa, efeito e solução.

O mais grave é que sempre que é alimentado com o consumo ou uso da substância o ego vai ficando mais forte e com isso tem maior poder de controle sobre o dependente que sofre, agindo em sua psique e em seu organismo, obrigando essa pobre pessoa a voltar a cair no consumo e assim aumentar cada vez mais o fosso da culpa.

É fácil concluir que isso vai se tornando uma “bola de neve”, um problema que inicialmente era pequeno se transforma em algo totalmente descontrolado.

Tanto o alcoólico como o toxicodependente tornam-se dependentes apenas experimentando poucas quantidades no início, pois creem que podem largar o consumo logo queiram. Isso é um grande erro, pois mesmo com essas pequenas quantidades, se o uso ou o consumo de bebida tiver como finalidade alterar o estado de humor, a dependência já existe, e como uma gravidez, progressivamente se vai se fortificando, até que tenha o controle sobre essa pessoa. Quando a pessoa se dá conta já está preso a uma dependência muito forte.

Nesta palestra vai ter acesso à porta de saída do inferno existencial, em que se encontra todo aquele que está dependente de álcool ou outra qualquer droga.

António Fernandes

Palestra Online e Presencial com António Fernandes

Horário: 12 de Junho de 2021

15H Lisboa, 11H Brasília,15H Luanda,15H Londres, 10H Nova Iorque,16H Madrid

Aceda aos detalhes da palestra aqui: https://casaescolaantonioshiva.com/comunidade/events/event/view/1863/palestra-drogas-e-alcoolismo-%E2%80%93-ha-uma-saida

Adição/Dependência

Adição/Dependência

Introdução

Este artigo é o primeiro de uma série de pequenos artigos que procuram trazer à luz uma das doenças mais difundida no mundo moderno a adição. Não só tem como objetivo uma visão ampla do problema, como o trazer soluções responsáveis (duradoiras), para todos que sofrem desta doença.

 Quando se fala em adição ainda existe uma grande associação ao álcool, benzodiazepinas e a outras drogas químicas. Mas a verdade é muito mais ampla. Existem milhões de adictos que nunca usaram álcool nem químicos para alterarem seu estado de humor. É preciso despertar para o facto que existem neste momento milhões de adictos à internet, em todo o mundo, que apesar de estar a assolar a nossa juventude, também se expande a todas as faixas etárias. Há também centenas de milhares de pessoas adictas às compras, à comida, ao trabalho, ao furto, ao sexo, à pornografia, à comida saudável, às redes sociais, séries televisivas, telenovelas, noticiários, ao ginásio e a muitas outras adições como sucesso, poder, pedofilia, codependência, etc.  

O início e expansão da Adição

A aparente realidade atual está na raiz da adição. O mundo e a humanidade em geral está a passar pela maior transformação que há conhecimento em toda a sua história. Todos procuramos ser felizes e realizados, num mundo altamente competitivo, ainda regido por um paradigma separatista/dualista em que se privilegia o estar em detrimento do ser. Como o estar é transitório e o ser é perene, fica-se sujeito ao efémero, e esquecemos o permanente. Diz-se que o mundo é dos espertos oportunistas…, e são eles que o governam.

 Mas na verdade, se nos agarramos ao momentâneo, criamos insegurança (medo). Tornamo-nos fábricas de medo. Como adito em recuperação, e com a experiência de mais de 20 anos a conduzir outros adictos à liberdade, estou convicto que a maior parte das pessoas deste mundo, não consegue lidar com a insegurança produzida pelo obsoleto paradigma vigente. Dessa incapacidade, surgem sentimentos de frustração, solidão, medo, em lugar da paz de espírito realização…, o vazio.

Crenças sobre a adição.

Porque a doença se chama adição?

Adição significa soma (juntar algo) Eu + Algo (não importa se é álcool, droga, internet etc.) completo-me (altero o estado de humor).

Como a adição é uma doença caracterizada pela negação, o adito nunca admite o seu problema. Tenta ser sempre diferente, para poder dizer que não é igual ao outro.

Como funciona?

A adição é uma doença de compulsão e obsessão. A compulsão é física e funciona como motor de arranque e a obsessão é mental perpetuando a progressão da doença (pescadinha de rabo na boca).

A adição tem cura?

Não se pode falar em cura, mas sim em recuperação (transformação/mudança).

Como somos todos diferentes, e existe uma grande variedade de adições, e todas elas têm como objetivo alterar o estado de humor, vou deixar aqui alguns motes para os próximos artigos me dedicar a desenvolver algumas das mais urgentes. Calmantes (benzodiazepinas), álcool, internet, e todas as outras que me seja solicitado pelos leitores ou clientes da casa escola António Shiva®.

O próximo artigo vamos abordar o alcoolismo seu processo, no uso social, abuso e dependência. Desintoxicação, abstinência e recuperação.

Obrigado por estares aqui comigo, as sugestões e dúvidas são bem-vindas.

António Fernandes

https://casaescolaantonioshiva.com/

Palestra Online: “Eu escolho a emoção que desejo sentir”

Palestra Online: “Eu escolho a emoção que desejo sentir”

Palestra Online Eu escolho a emoção que desejo sentir

Quer queiramos, quer não, somos nós que decidimos que sentimento viver. Não são as situações do quotidiano que nos levam para o stress, ira, culpa ou até vitimismo, mas sim a forma como decidimos viver cada momento. Apesar de ser estúpido negarmos ou reagirmos negativamente ao que não podemos mudar, na verdade, é essa atitude estupida perante a vida, que cria toda a forma de dor e sofrimento.

É necessário acordar para a realidade e viver de forma inteligente. Sei que não é novidade para ninguém, porque todos mestres que passaram por este planeta foram unânimes a proclamar a aceitação do que não se pode mudar. Foi essa atitude de aceitação e não julgamento que fizeram as grandes mudanças neste mundo.

A pergunta é esta: Porque continuamos a negar a vida, criando toda a espécie de sofrimento, em vez de a aceitarmos e entramos no seu fluxo de crescimento eterno?

Será demência? Ou é somente estupidez?

Espero-te este sábado, na palestra on line com a uma mão cheia de dúvidas.

António Fernandes

Mais detalhes sobre esta palestra online: https://casaescolaantonioshiva.com/comunidade/events/event/view/1847/palestra-online-eu-escolho-a-emocao-que-desejo-sentir

Palestra: “Eu decido o que quero alcançar”

Palestra: “Eu decido o que quero alcançar”

Apesar de continuamente nos tentarmos iludir com “as dificuldades” que a vida nos apresenta, cada vez mais começamos a entender que isso é conversa para boi dormir. Todos nascemos com a necessidade básica de contribuirmos de uma forma positiva para a evolução do mundo e da humanidade. Isso começa por estar de bem connosco, para podermos desfrutar da nossa própria vida, e contribuir para uma melhor vida de nosso semelhante.  

Quer queiramos, quer não, cada um de nós a sua maneira, tem muito para oferecer ao mundo e aos outros. Apesar de nos tentarem convencer do contrário, a felicidade tão almejada só é possível quando somos o altruísmo em movimento. Ou seja, quando entramos no fluxo da vida e nos incendiamos de abundância, que se expande de nós para toda a humanidade.

O maior pecado da existência humana é contentarmo-nos com pouco, ou somente com o que precisamos para nossa sobrevivência.

Como se pode dar, quando não se tem?

Como é que cumprimos a missão pelo qual nascemos, se lutamos pela sobrevivência?

Convido-te a estares presente na palestra on line

António Fernandes

Mais detalhes do evento aqui: https://casaescolaantonioshiva.com/comunidade/events/event/view/1846/palestra-eu-decido-o-que-quero-alcancar

Pin It on Pinterest