Cálculo renal

Os rins são filtros das emoções assim como o fígado é o órgão da transformação (mudança). Quando nos deixamos possuir pelo medo, ficamos inseguros e deixamo-nos invadir por pensamentos rígidos que pressionam e esmagam toda a região lombar, reprimindo naturalmente o fluxo da energia vital. Na prática este é o estado de quando se teme o futuro.

O medo do futuro tem origem num pensamento de culpa (do que fez ou do que não fez). O medo ativa as suprarrenais que injetam adrenalina no sangue, que não é usada por não existir como a usar, criando o que vulgarmente se chama ansiedade.

A violência é filha do medo e a crítica é gerada pela insegurança.

Tanto a física como a química sabem que no universo nada se perde e tudo se transforma. Um cálculo não é obra do acaso, da sorte ou do azar. Pela ilusão da aparência, pode afirmar-se que a carência de magnésio pode estar na origem do cálculo renal ou do cálculo da bexiga que pode tomar uma boa dimensão. Mas se essa fosse a única razão 90% da população do mundo moderno teria cálculos renais. Esse corpo estranho no interior de um órgão pode dar origem a infeções, à presença de sangue na urina e com frequência originar cólicas renais. Mas a verdade é bem mais ampla, apesar de tudo isto também ser “verdade”. E não serei eu certamente o dono dessa verdade.

Então o que cria essas pedras no caminho?

Na verdade, o que cria essa dolorosa realidade são preconceitos limitadores e princípios e valores desajustados.

Como os rins filtram emoções, há quem afirme que as pedras resultam da cultura de mágoas e de críticas de que não querem abrir mão. Um pouco manter vivo qualquer episódio que lhe trouxe mágoa e dor no passado, sobretudo em relações afetivas.

Perante um cálculo renal o que se deve fazer?

Em primeiro lugar, ganhar consciência que o corpo em que cada um habita é um universo de inteligência e que a cólica não é um castigo, mas um alerta para que abra mão do que não lhe pode dar felicidade. A dor pode dar prazer mórbido, mas nunca bem-estar ou felicidade.

Como sair dessa embrulhada?

O uso de Cloreto de Magnésio PA da forma aqui indicada:

http://solucaoperfeita.com/antoniotfernandes/magnesio-sal-da-vida/  é indispensável. Vai ajudar a relaxar o rim e debelar a infeção, ao mesmo tempo que pode ajudar a dissolução do “calhau”. Mas atenção se não inicia de imediato um processo de mudança, libertando-se da causa emocional, a pedra pode viajar até ao ureter e permanecer por lá.

Como resolver definitivamente?

1º Passo – Assumir a responsabilidade e aceitar a situação.

2º Passo – Procurar um profissional especializado em recuperação de Saúde Integral.

3º Passo – Deixar-se ajudar, não resistir…

Qual será o resultado final?

O resultado final será uma pessoa nova, segura e independente, que vê o passado como uma escola importante e que lhe deu ferramentas e capacidades para viver e criar a vida que deseja e merece.

Não me vou alongar nem dar mais informação para não gerar confusão. Seja qual for a sua dúvida, por favor não hesite.

Aguardo na expectativa,

António

Pin It on Pinterest